Pesquisa personalizada

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Mulheres bebem mais que homens em Sorocaba-SP

De acordo com o levantamento, 51% delas disseram consumir bebidas alcoólicas pelo menos três vezes por mês, mais que o triplo da média nacional, que é de 16%
José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo

Pesquisa coordenada pela Universidade de Sorocaba (Uniso) revela que as mulheres sorocabanas são campeãs no consumo de álcool. De acordo com o levantamento, 51% delas disseram consumir bebidas alcoólicas pelo menos três vezes por mês, mais que o triplo da média nacional, que é de 16%. Do total, 20% bebem até três vezes por semana, o dobro da média do público feminino no Brasil. De acordo com o pesquisador Rafael Sartorelo, do curso de Hotelaria, o estudo trouxe à luz informações inéditas sobre um tema que costuma gerar polêmica.

Uma dessas informações é que as mulheres de Sorocaba bebem mais que os homens, embora estes sejam bebedores mais contumazes que a média nacional. Apenas 35% do público masculino informou beber pelo menos três vezes por mês, contra 19% da média brasileira. O número de mulheres que se abstêm do álcool é bem mais baixo, em Sorocaba, que a média nacional: 16% das mulheres sorocabanas disseram que nunca bebem. No País, a média é de 59%. Para confrontar a pesquisa local com os dados nacionais foram utilizados estudos de especialistas que são referência na área, como Marcos Romano e Marcelo Laranjeira.

Entre os abstêmios do sexo masculino, as pesquisas também apontam menor proporção em Sorocaba do que na média nacional. Na cidade, 22% dos entrevistados disseram que não bebem nunca; considerando-se o Brasil inteiro, a abstinência chega a 35%.

O objetivo da sondagem, de acordo com Sartorelo, foi reunir subsídios que permitam conhecer os hábitos de consumo de bebidas alcoólicas na cidade e identificar as preferências dos moradores. Os dados foram coletados durante o mês de agosto, por meio de questionários respondidos por grupos de 50 homens e 50 mulheres de todas as faixas etárias a partir dos 18 anos de idade, representativos de todas as camadas econômicas e culturais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

cultura_R